5 exemplos de iniciativas bike-friendly pelo mundo

Existem muitos exemplos de iniciativas bike-friendly pelo mundo atualmente (e elas devem aumentar conforme as bicicletas vivem um período de aquecimento de demanda no planeta todo). Só aqui no Brasil, para se ter uma ideia, o número de bikes vendidas em 2020 aumentou 50% em relação a 2019, mostrando como esse aquecimento do setor é intenso.

Existem muitos motivos para esse crescimento das bicicletas, passando por quem quer emagrecer através de exercícios aeróbicos até por quem usa a bike como meio de transporte principal (algo que é muito comum em países do Norte da Europa e da Escandinávia, além de alguns territórios da Ásia também).

Quer ver alguns desses exemplos de iniciativas bike-friendly pelo mundo? Então siga a leitura abaixo!

5 exemplos de iniciativas bike-friendly pelo mundo

1. Ampliação de ciclovias e rotas exclusivas para ciclistas

Uma das maiores formas de incentivo ao uso da bicicleta é criar espaços exclusivos para ela. A ciclovia torna o transporte de duas rodas mais seguro, pois está longe dos carros e mais confortável, já que o terreno é propício para as bikes. Diversos países expandiram suas ciclovias, como a França, que tem, somente na cidade de Estrasburgo, 580km de ciclovia disponível para seus cidadãos. Outra cidade famosa por suas rodovias dedicadas é Eindhoven, na Holanda, que construiu uma rotatória suspensa exclusiva para bicicletas, chamada Hovenring.

2. Aluguel de bicicletas

Nem todas as pessoas têm a possibilidade de comprar e armazenar uma bicicleta. Por isso, uma ótima forma de incentivar o uso deste meio de transporte é oferecer a opção de aluguel. Muitos países, como o Brasil e a França, adotaram a dinâmica de pontos de aluguel e devolução espalhados pela cidade, para que as pessoas possam percorrer o trajeto necessário e então disponibilizar a bicicleta para outros usuários. Essa ação incentiva o uso de bicicleta pela facilidade e economia, já que não é necessário correr atrás de vagas de estacionamento, combustível para automóveis e manutenção.

3. Estacionamento dedicado

Um dos maiores impeditivos para pedalar é a falta de segurança. Ninguém quer parar sua bicicleta na rua e correr o risco de tê-la furtada quando deixada sozinha. É por isso que cidades conhecidas pelo grande fluxo de ciclistas investiram em infraestrutura como estacionamento dedicado para bikes. Utrecht, na Holanda, inaugurou em 2019 o maior estacionamento para bicicletas do mundo, com 3 andares e espaço para armazenamento de 12500 unidades. Considerando que a cidade tem uma população de 1,307 milhões e que cada um desses habitantes tem, pelo menos, uma bicicleta, a estimativa é de que este estacionamento tem a capacidade de guardar 1% de todas as bicicletas da cidade.

4. Incentivo cultural

Cidades como Malmö, na Suécia, optaram por investir em campanhas de conscientização dos benefícios do uso da bicicleta e da redução do uso de automóveis. Já Nantes, na França, optou por fazer o incentivo através de restrições do uso de carros em alguns pontos da cidade, como em sua avenida principal. Para que um país consiga aumentar o número de ciclistas, é necessário tomar medidas de conscientização e incentivo de acordo com cada cultura e os costumes de suas cidades, para que os cidadãos se sintam confortáveis e seguros em fazer a transição.

5. Fechamento de quarteirões em Barcelona

A cidade de Barcelona tem testado (com muito sucesso, diga-se de passagem) uma iniciativa chamada de “Super illes” ou “Super Quarteirões”, em português. A iniciativa surgiu do fato da cidade não conseguir cumprir as metas de poluição no ar da União Europeia (o que levava a morte de 3.500 pessoas em média por ano), além de graves problemas de trânsito.

Os Super Quarteirões de Barcelona são uma estratégia relativamente simples: durante certos dias, a cidade é dividida em super quarteirões compostos por 16 quarteirões normais. As ruas internas desses super quarteirões ficam completamente fechadas para carros, que só podem passar nas ruas externas.

O resultado da iniciativa é uma queda na poluição do ar na cidade, além de alívio do trânsito. Mas não só isso: as ruas internas dos Super Quarteirões se tornaram locais muito benéficos para ciclistas, que podem pedalar sem medo de serem atropelados ou sofrerem algum outro problema.

Além disso, a estratégia tem trazido resultados incríveis para a economia local: como as pessoas podem passear mais pelas ruas, elas estão comprando mais nos negócios locais e isso tem gerado melhores resultados para a cidade e para os empreendedores.

Pronto! Agora você já viu alguns exemplos de iniciativas bike-friendly pelo mundo. Com base nisso, poderá começar a pensar o que pode ser feito na sua cidade ou na sua região para incentivar ainda mais o uso de bicicletas. Por exemplo, será que a sua cidade tem um número aceitável de ciclovias? Como está a sua situação?

Comente abaixo dizendo o que mais poderia ser feito para estimular o uso de bikes no mundo todo!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.